Inovação em multinacionais brasileiras

innovation phraseUm dos artigos lidos recentemente que mais me interessou foi o The Brazilian Multinational´s Approaches to Innovation, escrito pelos professores Afonso e Maria Tereza Fleury e publicado recentemente no importante Journal of International Management. Os autores analisaram o padrão de inovação apresentado por multinacionais brasileiras e compararam-no ao de empresas multinacionais de países mais industrializados. O artigo conclui que, em alguns casos, existem influências causadas por mercados e instituições locais que exercem impacto nas competências e estratégias das empresas multinacionais brasileiras. Em suas pesquisas, os autores identificaram os tipos de inovação que proporcionam competitividade às multinacionais brasileiras, as capacidades que elas desenvolveram para iniciar suas estratégias de internacionalização e os efeitos de país de origem (country-of-origin effects) na formação de competências e capacidades organizacionais.

images (12)O casal Fleury identificou, por exemplo, que empresas baseadas em recursos naturais (commodities) procuraram desenvolver conhecimentos e boas-práticas gerenciais em engenharia de processos de modo a enfrentar a competição global. De mesmo modo, estas organizações precisaram desenvolver e inovar em aspectos administrativos e engenharia financeira porque as principais empresas deste setor são organizações expostas a redes logísticas complexas e riscos financeiros devido ao fato de operarem em mercados globais. De acordo com o modelo desenvolvido por Michael Porter (ver post aqui), estas empresas multinacionais brasileiras procuram liderança em (baixo) custo. 

mineração

Por outro lado, multinacionais brasileiras que não lidam com recursos naturais se desenvolveram em operações e tecnologia com o objetivo de produzir e comercializar produtos e serviços de modo diferente, o que é um exemplo de estratégia de diferenciação

procution plant

A Tabela 1 apresenta as principais conclusões dos autores

Cluster Competências Capacidade inovadora em Tipos de inovação Estereótipo
# 1 Administrativa (organizacional), operações e tecnologia. Desenvolvimento de modelos de negócios Novos modos de produzir e comercializar produtos e serviços Multinacionais brasileiras de 1ª linha não relacionadas a recursos naturais
# 2 Projeto de produto, relacionamento com clientes e operações. Customização de produtos e serviços para nichos de mercado Novos produtos para nichos de mercado Multinacionais brasileiras que exploram nichos de mercado no exterior
# 3 Tecnologia e marketing (relacionamento com clientes) Desenvolvimento de produtos demandados pelas cadeias globais de valor Novos produtos apropriados para as firmas compradoras em cadeias globais de valor Multinacionais brasileiras envolvidas nas cadeias globais de valor
#4 Administrativo (especialmente finanças) e tecnologia (engenharia de processo) Inovações radicais em engenharia de processo para competir em mercados de commodities Produção de commodities a preços mais baixos de modo sustentável Multinacionais de 1ª linha dos setores baseados em recursos naturais
Tabela 1 – Competências, capacidades e inovação em multinacionais brasileiras. Fleury & Fleury (2013)

Uma das limitações do trabalho, declarada pelos próprios autores, é o desconhecimento sobre a relação de causa versus consequência entre o processo de internacionalização e inovação: o desenvolvimento de capacidades inovadoras pode começar antes ou depois do processo de internacionalização, ou até mesmo não possuir relação com o processo de internacionalização das multinacionais brasileiras.

 Como de costume, seguem as tradicionais perguntas para os leitores mais curiosos::

  1. Quais outros tipos de efeitos de país-de-origem podem impactar as empresas  multinacionais brasileiras?
  2. As empresas multinacionais brasileiras são mais inovadoras porque se tornaram multinacionais ou vice-versa?

Link para imagem da linha de produção aqui; da mineração aqui, para imagem Innovation aqui; link imagem globo aqui.

Referências Bibliográficas:

FLEURY, A.C.C., FLEURY, M.T.L, BORINI, F.M. The Brazilian Multinational´s Approaches to Innovation. Journal of International Management. v.19 p260-275, 2013.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s